[ao vivo] john mayer trio está de volta

john

confesso que quando li a notícia que john mayer voltaria com o trio fiquei numa baita expectativa de ver a melhor fase de um dos meus músicos favoritos de volta.

o álbum ainda não saiu, mas, cinco anos depois da última aparição do grupo de jazz  na tv, eles se apresentaram no programa late night with seth meyers com o clássico after midnigh, de jj cale.

é difícil definir o estilo do mayer, já que a cada disco ele muda completamente. não só o som, mas ele por completo. parece que a cada trabalho é feito por um lado diferente dele. pop, jazz, pop, country, jazz… cabelo curto, cabelo longo, terninho, folk-hippie… mulheres, dissabores da vida, mulheres, reflexões…

voltando ao trio, definitivamente gostei da apresentação carregada de solos (principalmente o de guitarra, a partir de 3min) e não posso deixar de citar que senti uma influência forte do som do phillip phillips nos primeiros minutos de voz do john mayer… vai ver a turnê juntos influenciou na volta desse trabalho aí.

[voz] jack savoretti

Imagem

hoje entrei no spotify, como de praxe, para ouvir minhas playlists e no cantinho da tela apareceu “se você ouviu jonh mayer, você vai gostar de jack savoretti”.

batata! dei o play.

e surpreendentemente amei a música. amei a voz. amei o estilo.

ouvi o disco quase todo, me apaixonei pela primeira faixa not wothy. e quando assisti ao clipe de breaking the rules, me dei conta que eu não me encantava assim com uma voz desde que conheci o excelente ray lamontagne.

quase um ano depois do meu último post, precisava vim aqui compartilhar isso. 🙂

ouçam! folk é vida!

[livro] charlotte street

Imagem

um livro contemporâneo sobre rotina, londres, games, facebook, fotografia, amigos, jornalismo, desencontros e reencontros. um estória que poderia ser minha ou sua. longo e simples. clichê e encantador. charlotte street é um livro daqueles que faz a gente fechar sua última página com um suspiro de saudade depois de passar 399 páginas se sentindo parte dele. recomendo!

[cover] nakia – sex on fire

bastou ele começar a divulgar seu novo disco para que eu me lembrasse das suas incríveis apresentações no primeiro ‘the voice‘ gringo.
ele que chegou com pinta de romeo stodart (vocalista do magic numbers) e ousou cantando ‘forget you‘ do ícone (e jurado) cee lo green.
comecei a buscar outros sons na voz rouca do nakia e me deparei com ‘sex on fire‘ que fez eu me arrepiar.

mais calma que a versão original do kings of leon e com um toque de blues texano, eis o resultado:


pra deixar a coisa ainda mais interessante, o cara lançou HOJE um clipe com seu musicão novo: tight . não dá pra resistir a essa voz!

[voz] calleb followill

caleb followill, vocalista de kings of leon

caleb followill, vocalista de kings of leon

hoje eu não vou falar de um cd, mas sim de uma voz: calleb followill.

seria uma baita sacanagem da minha parte discorrer aqui apenas sobre o cd que eu considero como favorito. explico o por quê: only by the night é o único álbum da banda que eu ouço com frequência. e já ouvi muita gente falar que ele, de longe, não era o melhor dos rapazes…

quem já leu algo aqui no blog, principalmente se for sobre um álbum específico, sabe que eu gosto de prestar atenção nos detalhes. não sou formada em música, não sei cantar, muito menos tocar algum instrumento. mas cresci numa casa onde música despertava e nos fazia dormir.

voltemos ao foco.

ontem a noite, vi um trecho de um programa na tv, onde os garotos do kings of leon falavam a história de suas canções de grande sucesso e depois as tocavam. hoje, voltei do trabalho ouvindo o only by the night que, sabe-se lá porque, nunca sai do meu mp3.

sentindo faixa por faixa embalar meu longo trajeto pra casa, pude observar o que me encanta na voz do caleb followill: o curioso percurso que ele faz de uma voz preguiçosa e rouca de quem acabou de acordar para o grito de histeria! isso me encanta e me faz pedir bis em diversas canções.

não posso deixar de citar aqui que onde a voz quer vacilar, chega a falhar… mas volta com tanta força quanto foi… é uma das facetas que mais marcam e deixam sua voz inconfundível e deliciosa de ouvir. e o melhor, mostra que ele sabe o que faz com o que tem.

se você não costuma ouvir kings of leon, devia começar. não é difícil se apaixonar pelo que é bom.

minha dica pra começar é:

[música] home – phillip phillips

carinha de chris martin, voz e estilo de mumford & sons foi assim que ‘classifiquei’ phillip phillips na primeira vez que o vi. participante (e vencedor!) da 11ª temporada do american idol, o rapaz acaba de lançar seu primeiro clipe, com uma ótima fotografia – diga-se de passagem – e o estilo folk que tanto me encanta. e, veja só, a canção é a mesma que lhe garantiu a vitória em um dos maiores programas de disputa musical no mundo. eu gostei, e você?

confira aqui a versão ao vivo: http://www.youtube.com/watch?v=bfRya-P4ffk

[achados] lu e robertinho

confesso que relutei antes de clicar no play do vídeo que o thiago, um velho conhecido, postou em seu facebook. um título que misturava o cover de duas músicas: ‘more than words‘ do extreme que gosto muito e ‘madri‘ de fernando e sorocaba que eu realmente não suporto. mas acabei me surpreendendo.

há um antigo ditado que diz que os opostos se atraem. e acredito que foi isso que aconteceu com esses caras. misturar músicas atuais (muitas delas consideradas ‘hipsters’) com sertanejo foi um tanto inusitado e bem ousado.

minha favorita foi a versão de ‘we are young‘ do fun, que você pode ver logo abaixo.

ainda não sei se gosto do resultado, mas que os caras são muito bons eu não posso negar… vai dizê!