[achados] lu e robertinho

confesso que relutei antes de clicar no play do vídeo que o thiago, um velho conhecido, postou em seu facebook. um título que misturava o cover de duas músicas: ‘more than words‘ do extreme que gosto muito e ‘madri‘ de fernando e sorocaba que eu realmente não suporto. mas acabei me surpreendendo.

há um antigo ditado que diz que os opostos se atraem. e acredito que foi isso que aconteceu com esses caras. misturar músicas atuais (muitas delas consideradas ‘hipsters’) com sertanejo foi um tanto inusitado e bem ousado.

minha favorita foi a versão de ‘we are young‘ do fun, que você pode ver logo abaixo.

ainda não sei se gosto do resultado, mas que os caras são muito bons eu não posso negar… vai dizê!

[entrevista] gandharva

no próximo sábado (30/10), o espaço mundo recebe, pela segunda vez, os pernambucanos da banda gandharva. eu (@maisacachos) bati um papo com o @diogoapontes (vocal e guitarra). confere aí!

 gandharva não é uma palavra que ouvimos por aí, de como surgiu a idéia desse nome pra banda?

 onome da banda surgiu de um livro que iuri (vocal e guitarra) tinha na época, sobre religiões e coisas místicas e tal. daí iuri viu o nome “gandharva” e curtiu o significado. os gandharvas são anjos músicos que tocam para encantar os homens e os deuses, de acordo com a cultura bramânica, uma casta da índia. justamente o que nós almejávamos na época. conquistar o mundo todo. encantar as pessoas com as nossas músicas

 e acham que estão conseguindo?

 o nosso grande objetivo não é mais conquistar o mundo e, sim, fazer um trabalho relevante musicalmente falando. acho que a nossa maior satisfação é conquistar individualmente as pessoas, um por um, e isso vem acontecendo a medida que a banda aparece mais para o público.

 vocês estão produzindo o segundo ep da banda, é isso?

 na verdade, o “NINE” é o segundo ep da banda. o que vamos lançar já é o terceiro. chamado “BORN TO DESTROY”, que está sendo produzido pelo mesmo pessoal que trabalhou conosco no NINE.

 então isso quer dizer que eu desconheço o primeiro (too bad). o que pode nos falar sobre ele?

 o nosso primeiro ep é o “BAZOOKA”. é um ep que equivale para nós a uma demo de uma banda ainda em formação. nesse ep ainda não tinhamos um entrosamento bom em termos de composição, por exemplo. Aos interessados, ele pode ser baixado no hominis canidae, um blog com vários discos de bandas independentes brasileiras. inclusive, três dessas músicas estão no nosso myspace junto com as três do “NINE”.

 o que você sente que tem mudado do início da banda (2008) pra cá? falo em termos tanto de integrantes quanto de som. já dá pra sentir um amadurecimento do trabalho?

 os únicos integrantes que estão na banda desde o começo são eu e iuri. felipe (baixo) e thiago (bateria) entraram posteriormente. com certeza houve um amadurecimento gradual no nosso som. antigamente as influências do grunge eram muito mais presentes nas nossas músicas. Atualmente, acho que abrimos mais o leque de referências e passamos a perseguir um som nosso, característico da nossa banda. com certeza, quem escuta os nossos eps pode perceber uma evolução, em termos de composição, muito grande. esperamos manter esse passo e chegar ainda mais longe musicalmente falando.

 seguindo essa linha de influências, quais bandas dão um combustível de inspiração pra vocês? tanto na questão de qualidade do som como em questão de ícones, personalidades que inspiram no palco.

 nós sempre falamos que procuramos fazer um trabalho desprovido de influências. mas de qualquer maneira, de tantas coisas que nós ouvimos desde a adolescência, algumas marcaram muito a nossa estrada. eu diria que o nirvana, foo fighters e queens of the stone age, essas bandas são a tríplice do rock para nós, a base fundamental da banda. mas atualmente eu percebo influências de bandas mais clássicas como the who, beatles e rolling stones. estamos naturalmente migrando para um tipo de hard rock mais clássico. tudo o que não queremos é deixar que as nossas influências se tornem presentes demais no nosso som.
no palco a nossa inspiração é o rock’n’roll de forma geral. acho que o rock traduz uma atitude, um gestual característico mesmo, e isso nos inspira muito. somos tímidos, mas corajosos ao mesmo tempo. às vezes nossos shows se transformam num stand-up comedy do rock porque gostamos muito de brincar e falar besteira. enfim, não existe um padrão seguido por nós, mas sim uma vontade grande de detonar tudo sempre.

 quem compõe?

 eu e iuri somos os compositores da banda. ainda temos algumas parcerias com luiz fernando, ex-baixista da banda.

 sempre em inglês, né?

 sim, inglês foi a língua que escolhemos por se adaptar melhor ao tipo de som que queríamos fazer. iuri e eu temos projetos paralelos, solo, nos quais cantamos em português. mas no gandharva, achamos melhor cantar em inglês.

 e como o público reage a isso?

 bom, temos consciência que isso pode nos afastar do público. mas nos guiamos pelo fato de fazermos o que nós realmente gostamos e apostamos muito nas melodias que fazemos para superar esse obstáculo da língua.

 todos da banda vivem de música?

 eu e iuri vivemos disso, de fazer música, de produzir, de movimentar isso. thiago tem o trabalho dele, é formado em ciências da computação. felipe trabalha com design. eu fazia arquitetura mas tranquei o curso pra me dedicar a banda.

onde vocês tem tocado em recife?

 recentemente,  no uk pub, no N.A.V.E., no pátio de são pedro, no quintal do lima… recife é a nossa cidade e nós queremos tocar em todos os lugares possíveis.

vamos voltar a falar sobre o ep. a previsão de lançamento é novembro, certo?

 isso. de novembro não passa! eu espero! estamos trabalhando agora em toda a parte gráfica do ep. camisas, adesivos e tudo mais para levantar uma grana pra banda. daí faremos uma tiragem maior do ep. esse terá seis músicas, e será, sem dúvida, um grande ep. a melhor coisa que já fizemos em nossas vidas. o nosso filho predileto.

 estão planejando uma turnê?

 sim, sim, sim!!! estamos planejando lançar o ep e cair na estrada. vamos tocar em joão pessoa e campina grande como uma espécie de prévia do lançamento do nosso ep. queremos organizar uma grande tour para divulgar esse trabalho. estamos nos movimentando para que isso aconteça.

 essa é a segunda vez que vocês vem à joão pessoa, que impressão vocês tiveram no primeiro show na cidade?

 na outra vez tocamos (espaço mundo, 12/10) foi bem legal. apesar de público não ter comparecido de forma intensa, quem estava lá fez valer o show. nós ficamos muito felizes de tocar aí, conhecemos uma galera muito antenada em tudo da música independente brasileira e o público foi muito carinhoso conosco.

 uma coisa que acho maneira na banda é que estamos numa era totalmente ‘online’ e vcs são bem antenados nisso. estão sempre atualizando twitter, fazendo twitcam, vídeos no youtube, fora o myspace que tá bem completinho.

 com certeza. estamos muito conectados no que rola na internet. sempre procuramos divulgar as nossas atividades para o público via internet. é importante para nós manter essa relação muito próxima, muito íntima, e a forma mais rápida e eficiente de fazermos isso é via internet.

 quem alimenta essas mídias de vocês? é a própria banda que mete a mão nas teclas?

 na verdade, quem faz a alimentação de tudo o que tem nosso na internet somos nós mesmos. dá pra fazer, sem problemas, e de certa forma, apesar de trabalhoso, é uma coisa que nos dá prazer, ter esse feedback virtual.

 bom, pra conhecer melhor vocês acho que só prestigiando um show, né? nos diga o que joão pessoa pode esperar para o show do dia 30.

 com certeza o público paraibano pode esperar um show de rock cheio de energia, bem alto, pra cima. não aliviamos no nosso som e vai ser uma apresentação bem intensa! estamos trabalhando duro para fazer um show muito bom pra vocês, com algumas surpresas! vamos tocar as músicas de todos os nossos eps, inclusive do novo. vai ser do caralho.

sentiram o que vem por aí, né? a banda gandharva é composta por diogo pontes (guitarra e voz), iuri brainer (guitarra e voz), thiago alves (bateria) e felipe marenas (baixo). para mais informações e aquecimento pro show, visite-os!

no myspace: http://www.myspace.com/gandharvaofficial

no twitter: @gandharvalog

no youtube: http://www.youtube.com/user/diogoapontes

no orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=3430793561214748856

no facebook: http://www.facebook.com/maisa.cachos#!/pages/Gandharva/78014424624

crédito das fotos: luiza andrada.

[música] narciso nada

é com muito prazer que falo aqui sobre essa banda e divulgo (com orgulho!) que foi a primeira a me enviar material para análise!

e que bom que fizeram isso!

a primeira música que ouvi da narciso nada foi “necessidade”, não pude deixar de comparar o vocal com o do andré do móveis coloniais de acaju, e no decorrer da música eu consegui achar um pouco de mombojó com charme chulo. um grande mix das boas bandas independentes que conheço!

logo depois, eu ouvi a canção “partida” e continuei me encantando com os garotos. nela eu já consegui sentir um pouco mais da influência do rock dos anos 80, algo meio lobão (que coincidentemente eu também consigo achar em algumas músicas do móveis).

apesar de achar pequenas semelhanças entre a narciso nada e outras bandas do cenário independente atual, os caras tem um diferencial que eu não sei definir muito bem. não sei se é a grande mistura de ritmos que influenciam a banda (como samba dos anos 30, mpb e rock em toda sua grande variação) ou a intensidade de suas letras falando do que nos é cotidiano de uma forma direta e precisa.

o primeiro ep da banda saiu em 2007 e o segundo (já com nova formação) em 2009 com músicas igualmente fortes e interessantes. dá pra perceber que é uma banda relativamente nova mas que já mostra um grande potencial produtivo!

para ouvir e conhecer melhor os caras é só visitar os links a seguir. escuta e me diz que tal!

no myspace: http://www.myspace.com/narcisonada

no twitter: @narcisonada

no orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=13346058371983849833

página no facebook: http://www.facebook.com/pages/Narciso-Nada/129451133738024?v=wall

site oficial: http://www.narcisonada.com.br

download dos ep’s: http://tramavirtual.uol.com.br/artistas/narciso_nada

[música] charme chulo

rock escancaradamente caipira. sim, isso é possível! e digo mais, com qualidade.

a primeira impressão que tive ao ver o clipe da música mazzaropi incriminado da banda charme chulo, uns dois anos atrás, foi: what the fuck is that, dude? um cara magrelo, vestido com uma camisa xadrez, desendonçado e com uma dança esquisita. parei e prestei atenção e não é que a música me contagiou? uma batida de viola caipira misturada com o bom e velho rock ‘n roll, sensacional! boas melodias, boa letras, bons músicos e uma ótima voz a frente disso tudo.

esse ano a banda lançou seu mais novo cd “nova onda caipira” mantendo a mesma excentricidade do primeiro EP de 2004, “você sabe muito bem onde eu estou”, e defendendo com unhas, dentes, roupas e jequices a identidade caipira.

vale a pena conferir o som dos rapazes!

indico aqui minha música favorita “piada cruel” e já vos apresento o novo clipe “nova onda caipira” (depois alguém me fala se só eu achei o ator do clipe parecido com o emile hirsch no filme into the wild?)

agora aumenta o som, dá o play e me diz que tal!

no myspace: http://www.myspace.com/charmechulo

no twitter: @CharmeChulo

no youtube: http://www.youtube.com/user/charmechulo

site oficial: http://www.charmechulo.com.br/

[música] thiago pethit

salve, moçada! dica nova e de primeira qualidade para vocês.

do nada uma amiga comenta no twitter que está ouvindo o cd de um tal thiago pethit, pergunto se é bom e ela me responde que é muito bom! então… fui ouvir. se achei bom? não, não achei. o cara é totalmente excelente.

estou bem acostumada a ouvir esse estilo de música com caras gringos. alguns dos que já comentei por aqui são john mayer e alexi murdoch. mas também curto muito gavin degraw e matt costa. e toda essa música feita a partir da emoção da voz e com mínimos detalhes que fazem toda a diferença na instrumentação. muito me agrada, meus ouvidos sempre agradecem.

confesso que fisicamente algo nele me remeteu ao mika e, nas músicas em português, a voz de thiago me lembrou a do marcelo camelo, não só a voz mas também a balada de algumas de suas músicas.

com ótimas melodias e letras seja em português, inglês ou francês. thiago superou minhas expectativas e ganhou espaço na minha playlist.

se você, assim como eu, tava vacilando e ainda não conhecia o som desse rapaz, corre e baixa logo, põe na playlist e sai cantarolando feliz por aí.

minha dica pra primeira audição do cara é a bela ‘não se vá’.

e dá uma checada no clipe dele com a participação da tiê, com ‘essa canção francesa’:

no myspace: http://www.myspace.com/lepethitprince

no twitter: @thiagopethit

site oficial : http://thiagopethit.com/

(valeu pela dica @Grasy87)

[show] pouca vogal

entusiasmo e nostalgia.
taí as duas palavras que definem o que senti no show do pouca vogal realizado no teatro de arena do espaço cultural, em joão pessoa.
eu, que pegava o cd do meu pai para ouvir infina highway a mais de 10 anos trás, estava sentada vislumbrando o humberto gessinger dedilhar seus violões, seus teclados, soltar os fios loiros sobre os instrumentos e cantarolar suas grandiosas canções ali tão pertinho.
ao seu lado, duca leindecker, eu não o conhecia antes do projeto pouca vogal, mas já havia escutado sobre sua banda, cidadão quem. jetinho simples, sentadinho na dele e arrebentando na guitarra. e que voz, duca, que voz!
posso garantir que essa foi uma das mais belas apresentações ao vivo que já prestigiei.
foi lindo.
talvez não faça sentido pra muita gente que leia esse post. mas pra quem passou todo o ensino médio cantarolando ‘refrão de bolero’ com as amigas, sabe do que tou falando.
 
só não gostei do show de abertura. nada contra val donato e os cabeças, fazem um bom trabalho. mas não entrei no clima e a apresentação pareceu longa demais pra mim, sem contar que eu não gosto de quem faz firulas pra mostrar que sabe cantar.
 
contudo, ao colocarem os pés gaúchos no palco e arrebentarem em cerca de duas horas de show… pouca vogal me fez esquecer qualquer outra coisa boa ou ruim do meu dia.
a participação do carlos maltz, eterno baterista dos engenheiros do hawaii foi um evento a parte, né? sensacional!
 
parabéns aos organizadores do evento.
 
grata, pelo grande show, gessinger e leindecker.
 
ps: pra vcs terem idéia do que senti, o show foi muito mais emocionante do que trocar palavras com o gessinger na noite anterior em sua sessão de autográfos.

[música] suéteres

taí uma banda que eu conheci da forma mais inesperada possível.

eu tava com uma idéia na cabeça de procurar uma banda que vi na mtv, tempos atrás, cujo clipe me pareceu ser dos sem horas, mas o nome não vinha. matutei, matutei… e daí veio ‘suéteres’. ‘googlei it’ e acheio-os.

o que há de inesperado nessa história? é que o nome da banda procurada não era esse (era ‘garotas suecas’ postarei sobre eles depois). contudo, acabei encontrando esses garotos que muito me agradaram. o por quê?

gosto do jeitinho nerd, gosto de barbas por fazer, gosto de estilo e gosto de suéteres.

se uma banda junta tudo isso: me conquista. e se uma banda, além disso tudo, tem talento:  leva meu coração.

os quatro rapazes são de pirassununga-sp e gravaram seu primeiro ep – quem dera – em 2008.

o cd rua caétes (2009) é uma delícia de ouvir e a minha favorita é ‘se for aplaudir’.

o único vídeo oficial que achei da banda foi o da canção ‘eu já vi pior’.

letra marcante, melodia gostosa, bela fotografia usada no clipe… ouçam, vejam e me digam: que tal?

no myspace: http://www.myspace.com/sueteres

no twitter: @bandasueteres

no youtube: http://www.youtube.com/user/sueteresbanda

site oficial: http://sueteres.com.br/