[show] sun rock music festival 2010

entre elogios e críticas nasce o maior festival de rock que o nordeste já viu. mas… maior em que sentido?

“houve o público esperado?”, “não houve erros?”, “deu pelo menos pra pagar as contas?”, “algumas bandas não tocaram, e aí?”. essas são só algumas das perguntas que especulam produção e qualquer alma viva que tenha trabalhado no backstage do festival. sendo eu uma dessas criaturas, expresso aqui minha opinião.

onde já se imaginou um festival desse tamanho em joão pessoa? cidade que, na maioria das vezes, sequer é incluída em turnês de grandes bandas. claro que o desafio seria grande! aconteceram problemas no sábado (11/09), sim aconteceram. mas vai dizer que o sonzera band não mostrou o talento que natal-rn tem pro rock ‘n roll? a apresentação foi curta, mas deu pra sentir o gostinho do que os caras tem pra dar. e o que dizer da cachorro grande? o show, definitivamente, me surpreendeu! achei o último cd dos caras meio estranho, com menos pegada de rock do que os dois primeiros, mas ao vivo os caras mostraram que eu estava completamente enganada! o rock gaúcho não vai sair deles, nunca! então chegamos a eles: scorpions! na boa? que show! que show! que iluminação, que delírio! e a participação do andreas kisser foi uma ótima surpresa, vai dizer! joão pessoa merecia uma noite ilustre dessas!

quanto ao domingo (12/09) eu gosto de dizer o seguinte: tudo o que aconteceu de tenso no sábado, foi corrigido no domingo fazendo desse o domingo mais heavy metal que a cidade já teve! sim, senhores! terra prima mostrou que pernambuco tem um enorme potencial para o estilo! e o show do matanza? incrível! pra mim, em particular, o melhor do domingo! a noite seguiu com children of the beast  e seu cover intenso do iron maiden. depois veio o clássico metal do angra e o peso do sepultura!

segundo o pronunciamento dos organizadores, no próprio domingo, as bandas unidade móvel e shok, pratas da casa, uma com toda a novidade e a outra com a tradição do rock paraíbano, não tocaram por motivos maiores! uma pena!

mas então respondo a pergunta feita no começo do post: em que sentido esse foi o maior festival de rock do nordeste?

os organizadores tiveram coragem de encarar os desafios propostos! nem tudo deu certo, nem tudo deu errado e muito foi aprendido!

parabéns a quem idealizou o festival, parabéns a quem trabalhou no festival e parabéns a quem fez o festival acontecer: o público que não deixou a peteca cair e mostrou que a paraíba tem sede de rock ‘n roll!

agora é ficar na torcida para que venha o sun rock music festival 2011!

Advertisements

[show] the beatles abbey road

pela segunda vez, eu tive o prazer de rever esses quatro rapazes. e, pela segunda vez, eu pude me sentir décadas atrás quando as garotinhas usavam vestidos de bolinha e os rapazes de lambreta usavam jaqueta de couro.

the beatles abbey road me fez viver o que poderia ter sido um show dos beatles que eu nunca verei e isso é mágico.

os caras são muito bons, seja cantando, seja no figurino, seja no formato do show que passa por toda a discografia dos quatro rapazes de liverpool mesclando vídeos, músicas e bate-papo com o público em inglês. o conjunto disso tudo faz com que a banda vá além de ser apenas mais uma banda cover dos beatles.

eu, particularmente, preferi o show deles que fui em 2008, na praça antenor navarro, aqui mesmo em joão pessoa. contudo os caras deram show na noite de ontem no ponto de cem réis e continuam com meu prestígio e admiração.

como os próprios dizem: em algum lugar do presente, você ainda pode curtir o passado.

fica a dica pra quem perdeu, ou quer saber mais sobre the beatles abbey road, acesse o site oficial da banda e reviva o bom e velho rock ‘n roll.

[show] pouca vogal

entusiasmo e nostalgia.
taí as duas palavras que definem o que senti no show do pouca vogal realizado no teatro de arena do espaço cultural, em joão pessoa.
eu, que pegava o cd do meu pai para ouvir infina highway a mais de 10 anos trás, estava sentada vislumbrando o humberto gessinger dedilhar seus violões, seus teclados, soltar os fios loiros sobre os instrumentos e cantarolar suas grandiosas canções ali tão pertinho.
ao seu lado, duca leindecker, eu não o conhecia antes do projeto pouca vogal, mas já havia escutado sobre sua banda, cidadão quem. jetinho simples, sentadinho na dele e arrebentando na guitarra. e que voz, duca, que voz!
posso garantir que essa foi uma das mais belas apresentações ao vivo que já prestigiei.
foi lindo.
talvez não faça sentido pra muita gente que leia esse post. mas pra quem passou todo o ensino médio cantarolando ‘refrão de bolero’ com as amigas, sabe do que tou falando.
 
só não gostei do show de abertura. nada contra val donato e os cabeças, fazem um bom trabalho. mas não entrei no clima e a apresentação pareceu longa demais pra mim, sem contar que eu não gosto de quem faz firulas pra mostrar que sabe cantar.
 
contudo, ao colocarem os pés gaúchos no palco e arrebentarem em cerca de duas horas de show… pouca vogal me fez esquecer qualquer outra coisa boa ou ruim do meu dia.
a participação do carlos maltz, eterno baterista dos engenheiros do hawaii foi um evento a parte, né? sensacional!
 
parabéns aos organizadores do evento.
 
grata, pelo grande show, gessinger e leindecker.
 
ps: pra vcs terem idéia do que senti, o show foi muito mais emocionante do que trocar palavras com o gessinger na noite anterior em sua sessão de autográfos.